20 abril 2015

Como levantar a auto-estima do filho

1615099_10203091171425365_1089467416_n

Em uma reunião da escola, uma psicologa chamada pela escola foi nos ajudar sobre limites, todos sabem que criar um filho (porque por no mundo é muito fácil, criar é outra parte bem delicada do "ter um filho”, e isso não vem de manual nenhum), eu sou mãe meio louca, diferente de como a minha mãe é, amo ser mãe da mariana, eu nunca sonhei em ser mãe depois da adolescência (até porque minha mãe rezava um mantra na minha cabeça: “nunca engravide antes de se formar, ter um emprego”), e quando aconteceu eu estava prestes a completar 32 anos, e me vi igual uma adolescente sem rumo com aquele pequeno embrulho que estava levando para casa, os meses iniciais são batata, você coloca o bebê no seu ritmo e “voi lá” tudo certo, todos estão felizes, mas existe um período que não temos o controle sobre esses pequeninos, o momento que eles descobrem que não somos uma única pessoa mãe-filho, então vem um outro ser humano que tem vontades próprias, que precisa ser norteado, então como o estresse do dia-a-dia a gente não tem paciência com as crianças, posso dizer que o que a psicóloga falou, tem me ajudado ao extremo, e tenho utilizado essas palavras para meu momento com a minha pimentinha, espero que gostem:

1. Eu te amo, mas você está errado

Nessas horas que precisamos repreender os filhos deixamos claro que a criança fez algo errado e não a condenamos a ser sempre má. Fica claro que ela ainda tem o amor dos pais, mas teve uma atitude incorreta.

2. Muito bem, filho

Quando eles arrumam a cama sozinhos ou nos ajudam em alguma tarefa do lar, merecem ser elogiados. Este reconhecimento fará com que a criança se orgulhe do que fez.

3. O que você quis dizer com isso?

Essa é uma ótima frase para se dizer quando a criança fala um palavrão ou faz um gesto feio. Ela pode estar reproduzindo algo que ouviu e não entende quão errado é. Assim, os pais podem explicar que são palavras que não devem ser ditas, em vez de dar risada ou retrucar com outro xingamento.

4. Eu acredito em você

Dessa forma estaremos inspirando confiança para que o filho possa se abrir mais vezes e contar a verdade. Logo, quando for adolescente, entenderá em quem pode realmente confiar.

5. Cuide de suas coisas

Assim você estará ensinando-o a ter mais responsabilidade e a valorizar o que lhe pertence. No futuro, ele dará mais valor a outras conquistas pessoais.

6. Como foi o seu dia?

Mais importante do que a pergunta, é dar atenção à resposta. Nesse momento, deixe as repreensões um pouco de lado para que ele tenha sempre vontade de contar suas aventuras e não de ouvir um sermão.

 

Espero que vocês usem isso para sua vida…

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você achou interessante o que eu escrevi e resolveu comentar... espero críticas - sejam ela construtivas e destrutivas -, desde que não xinguem, tudo bem.
VOLTE SEMPRE!!

Comentários

comments powered by Disqus